A maneira como cozinhamos arroz pode ser prejudicial para nossa saúde

Arroz com feijão, arroz com carne, arroz com praticamente tudo. Essa é a rotina de muitos brasileiros. O arroz é um dos nossos maiores companheiros do dia a dia e está presente na maioria dos pratos que preparamos. Mas a forma como cozinhamos esse alimento tão comum pode estar fazendo mal para a nossa saúde.
Isso porque as plantações de arroz normalmente são contaminadas com arsênico, um elemento natural cancerígeno, que pode permanecer no grão de arroz após a colheita. E ao contrário do que muitos pensam, o arsênico não desaparece em sua totalidade durante o cozimento.
Golfo
Andy Meharg, professor de ciências biológicos da Universidade Queens, em Belfast, fez uma experiência em um programa da BBC, provando que nossa forma de cozinhar o arroz não é a mais segura. O arsênio se mantém em altos níveis se o arroz for cozinhado da maneira clássica: 2 copos de água para um de arroz. E mesmo se trocarmos para 5 copos de água para um de arroz, o problema persiste, ainda que os níveis sejam reduzidos na metade.
Como solução, Meharg sugere uma terceira opção: deixar o arroz de molho um dia antes de prepará-lo. Desta forma, mostrou o experimento do professor, os níveis de arsênico são reduzidos em 80%.



Além disso, Meharg também diz que o arroz do tipo Basmati é o que possui os níveis mais baixos de arsênico, e entre o branco e integral, sugere o arroz branco, já que a casa do outro normalmente apresenta níveis mais elevados do elemento.
Tecnologia do Blogger.